O clube de atletismo ‘Os Rompe Solas’ de Vila do Conde foi fundado no dia 5 de setembro de 1993, quando um grupo de cerca de 20 atletas amadores decidiu partilhar a sua paixão pela modalidade e formalizar um ato associativo que hoje se traduz num clube reconhecido no movimento associativo vila-condense e que tem alguma expressão a nível regional e nacional.

Começou por reunir alguns dos antigos atletas do Núcleo de Atletismo de Vila do Conde do Sporting Clube de Portugal, já participantes em algumas provas do calendário desportivo nacional, a que se foram juntando vários desportistas que, a título individual, praticavam a modalidade, essencialmente de convívio e lazer, numa perspetiva de saúde e bem-estar. Superando dificuldades e contrariedades que são comuns à maioria das coletividades desta dimensão, o clube foi oficializado em Assembleia Geral de associados, que delineou e aprovou os estatutos d’Os Rompe Solas e elegeu a primeira Direção.

A participação, inicial, em provas caráter popular, foi-se alargando a provas de dimensão nacional, do fundo e meio fundo, sendo de destacar a repetida presença ao longo dos anos nas meias-maratonas de Lisboa, Nazaré, Almeirim, Aveiro e na corrida de S. João do Porto. O “batismo” internacional aconteceu na meia maratona de Vigo, no ano 2000, estendido depois às maratonas e meias maratonas em Paris, Londres, Roterdão, Rio de Janeiro, Roma, Nova Iorque e Berlim, com participações individuais e coletivas que dignificam o clube, a cidade e o país.

O esforço contínuo dos sócios-atletas tem permitido superar as limitações, sejam de caráter financeiro, ou decorrentes da dificuldade de obtenção de apoio e patrocínios junto do meio empresarial, o que determina uma dependência significativa do apoio da autarquia local, que disponibiliza o espaço-sede do clube. As limitações estendem-se às condições de treino, exigindo a cada atleta a responsabilidade pela planificação do seu programa de treinos, havendo alguns que conseguem recorrer a técnicos com formação especializada.

Apesar dos condicionalismos, o clube tem mantido um número de sócios-atletas que ronda as quatro dezenas, contribuindo para o desenvolvimento da prática desportiva e de uma relação de proximidade com a comunidade local, associando-se a eventos de grande interesse sociocultural, como a ‘Queima de Judas’ e o ‘Primeiro banho do ano na Praia da Senhora da Guia’, num concelho com condições extraordinárias para a prática do atletismo, nomeadamente a marginal (Avenida Brasil) com ligação à Póvoa de Varzim, que é local habitual do treino dos atletas do clube e do percurso da Corrida da Nau.

A corrida da Nau é o evento desportivo com maior expressão na vida do clube, e faz parte da comemoração anual do seu aniversário, com uma corrida (10k, míni maratona) e uma caminhada (5k), que têm partida e chegada junto à emblemática Nau Quinhentista, com passagem pelo centro histórico, marginal e zona ribeirinha. Este ano, o evento terá maior dimensão e uma envolvência especial pela celebração do 25º aniversário da sua fundação, com difusão para todo o mundo através da cobertura televisiva da TVI e TVI24, com um nível de qualidade na organização que se espera supere as expectativas dos participantes e parceiros envolvidos no evento.

A 25ª edição da Corrida da Nau, dia 2 de setembro, é organizada pel’Os Rompe Solas, em parceria com a GlobalSport, integrada no ‘Portugal a Correr’, circuito de running que percorre a correr e a caminhar alguns dos mais belos territórios portugueses. A Corrida da Nau beneficia ainda da parceria da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia de Vila do Conde, que reconhecem, com o seu apoio, a importância do clube e da Corrida da Nau para a promoção do território de Vila do Conde, e de um estilo de vida saudável para todos os vila-condenses.